Mensagens

A mostrar mensagens de Julho, 2010

Entra, Marvila

Imagem
Para mitigar os maus fígados que instalaram em mim hoje (eu que acordei tão bem disposto), nada como ir almoçar fora, bem longe do local de trabalho. Inicialmente o objectivo era a eterna Gulbenkian mas, depois de alguma contemplação interior (por forma a aceder aos ficheiros mentais de restaurantes que gostaria de ir), veio-me à ideia um restaurante sobe o qual tinha lido à algum tempo na Time Out e tinha ficado com curiosidade em visitar - o Entra. Acelerando segunda circular a fora (abaixo dos 80km/h naturalmente :) lá chegámos a Marvila. Esta foi a parte fácil.
Se utilizarem o mapa que está no site do restaurante, este parece ficar duas ruas depois da Fábrica Braço de Prata..... alguns espelhos retrovisores têm escrito "objects in mirror are closer than they appear", se aplicarmos esta frase ao mapa que está no site do Entra fica algo como "restaurant in map is distant than appears" :-)
Como já estão a perceber, andámos por Marvila à torreira do sol, a gastar as …

Artisani, Estrela

Imagem
Nunca foi tão fácil encontrar a Casa Fernando Pessoa como ontem.... a fila à porta era considerável (e bem visível à distância) e a dificuldade em estacionar em Campo de Ourique estava elevada ao expoente máximo. Estranhamente consegui um lugar excelente para estacionar (verifiquei todos os sinais de trânsito para confirmar que tinha mesmo arranjado um lugar quase à porta sem infringir nenhuma lei :-) e fui por-me na fila...

E para quê? Para conseguir ter a possibilidade de ouvir declamar, cantar, sussurrar ou simplesmente proferir as frases escritas por poetas incontornáveis da língua portuguesa, como Fernando Pessoa. E por quem? Bem... por alguém que nasceu para se exprimir através da palavra dita ou cantada - Maria Bethânia. Foram perto de duas horas de puro prazer.


Depois de ver consolado o meu espírito com a declamação de poemas como só Maria Bethânia consegue fazer, lembrei-me que estava perto de uma geladaria que já algum tempo me estava a escapar, a Artisani da Estrela/Campo …

Starbucks, Rossio

Imagem
Um post sobre o Starbucks pode parecer um pouco redundante, mas chegou o momento. Quem consome filmes e séries americanas em doses massivas como eu, tem um lugarzinho guardado para o Starbucks no seu imaginário. Sempre que ia ao estrângeiro, tentava encontrar um para provar, ver e beber um pouco desta mística casa, e num feliz dia o Starbucks decidiu abrir em Portugal. Demorou a chegar, mas agora ameça disseminar-se por toda uma Lisboa.
É exactamente esta a razão do meu post. Todos nós, os que já lá foram, sabemos que os cafés e a comida têm boa qualidade e que os preços são no mínimo, como direi, extremamente exagerados, que somos roubados à força toda e pior voltamos lá (ou pelo menos eu volto). Mas, o principal problema que tenho com o Starbucks é a localização. Não percebo o porquê de abrirem tantos Starbucks em centros comerciais. Se calhar devia perceber, a verdade é que adoramos ir passear para centros comerciais. Mas mesmo assim, se vou para um sitio onde me vão chular 5 euro…

O Alfaia, Bairro Alto

Imagem
Utilizando como "desculpa" ver o coro do Teatro Nacional de São Carlos, no Festival ao Largo, consegui uma visita à Fragoleto, passeio pela Baixa, jantar no Bairro Alto e, last but not least, o concerto :-) Nada mau para um dia de domingo (assim que acabo de escrever esta frase liga-se o gira-discos mental e começa a tocar essa mítica canção da Joana ou Gal Costa, já não sei qual delas)

Como nada estava verdadeiramente combinado (apenas que iríamos ver o concerto) a escolha do local de jantar foi feita na hora e, segundo alguns, um bocadinho cansativa....isto porque envolveu umas quantas "voltinhas" pelas ruas do Bairro Alto :-) A indecisão imperava (quase entrámos no Louro&Sal) ma, após ter visto a minha integridade física por um fio, lá me decidi pelo restaurante que me tinha prendido a atenção logo no início da maratona (segundo dizem, não há amor como o primeiro...), O Alfaia.

O restaurante Alfaia fica na esquina da Travessa da Queimada e da Rua…

Taberna do Chiado, Lisboa

Imagem
deixar passar muito tempo entre a ida ao restaurante e a escrita do post não é realmente uma boa prática... a memória começa a falhar, tornando mais complicado recordar facto relevantes (ou irrelevantes) da visita. mas a preguiça por vezes é mais forte...

a Taberna do Chiado já andava nos planos a algum tempo, tendo sido sucessivamente posta de lado sem nenhuma razão especial, simplesmente não calhava (a última vez que esteve nomeada, quem levou o Oscar foi a Brasserie :-) até que depois de um passeio pela Baixa e pelo Chiado se chegou à conversa do costume: "onde vamos jantar? hummmm e que tal finalmente experimentar a Taberna? Vamos a isso!" Obviamente que a conversa foi mais complexa e longa que isto mas é o resultado final que interessa :-)


a Taberna do Chiado fica situada no Pátio Siza Vieira, passível de ser acedido a partir de uma das artérias principais do Chiado (Rua Garrett), mas não é um acesso óbvio sendo necessário tomar atenção para não se passar ao lado da ent…

Dom Tacho

Imagem
A melhor francesinha de Lisboa!

Não tenho mais nada a acrescenta, está tudo dito. Fim de post.

Ok, eu elaboro mais um pouco.

Depois de ler no Roteiro das francesinhas sobre o Dom Tacho, achei que valia a pena experimentar. Um belo dia, decidimos ir comer uma francesinha, à hora do almoço, no Dom Tacho e foi uma experiência dolorosa. Passo a explicar, algum tempo depois de nos sentarmos chegou um grupo enorme que tinha reservado francesinhas e foram prontamente servidos. O problema é que como a cozinha estava a preparar as francesinhas deste grupo com cerca de 10 pessoas, as nossas ficaram substancialmente atrasadas. Imaginem-se cheios de fome, ficar perto de 1 hora à espera de comer e estar constantemente a ver passar francesinhas. Quando finalmente chegaram, estávamos com tanta fome (e alguma irritação) que ficámos na dúvida se gostámos por causa da fome ou se eram realmente boas.
Impunha-se uma segunda visita. Foi isso mesmo que fizemos à pouco tempo. Desta vez telefonámos a rese…

Brasserie de L'Entrecôte

Imagem
Falar sobre a Brasserie é quase como chover no molhado, e com o tempo que tem feito até nem é difícil - quando é que temos Verão por mais de 3 dias seguidos?!? O restaurante é sobejamente conhecido e tem uma carta tão vasta, que basta lá ir uma vez para se ter provado todos os pratos.
De qualquer forma, quis trazer aqui este restaurante porque adoro o único prato e o ambiente, principalmente o da Rua do Alecrim. Se alguém ainda não foi lá, vão, que vale bem a pena a experiência.
As hostilidades abrem-se com pãozinho quente e manteiga, e uma salada de alface e rúcula (acho que foi lá que provei pela primeira vez rúcula, ainda a rúcula não estava na moda como hoje em dia) acompanhada de molho vinagrete e nozes. Há algum tempo foi introduzida a salada de salmão como alternativa à salada tradicional, mas nunca a provei. 
O prato é o principal trunfo do restaurante, entrecôte de vazia com molho "brasserie" e batata frita. Que posso dizer eu sobre isto: divinal, magnífico, excelent…